domingo, 23 de outubro de 2011

QUAL É SUA PRIORIDADE ?

Saúde ou futebol: qual é a prioridade ?

A histeria infantilóide, por conta da Copa do Mundo de Futebol no Brasil em 2014, vem produzindo verdadeiras barbaridades. Uma delas é o financiamento do estádio Itaquerão, do Sport Club Corinthians Paulista, entidade privada (com fins lucrativos, sim) com dinheiro do contribuinte de São Paulo.

A renúncia fiscal de quase meio bilhão de reais, bancada pela Prefeitura de São Paulo, com aprovação da Câmara Municipal (sempre elas!!) é um acinte à cidadania e uma agressão às prioridades em políticas públicas.



O ex-presidente Lula se assanhou (mais uma vez) em aparecer no lançamento do "Fielzão", aplaudindo a renúncia fiscal da prefeitura, comandada pelo agora aliado Cassab. O mesmo Lula que, quando presidente, recebeu em 2008, das mãos de uma comissão de notáveis, o relatório "AS CAUSAS SOCIAIS DAS INIQUIDADES EM SAÚDE NO BRASIL" e deve tê-lo deixado mofando na gaveta.

Na madrugada de sábado para domingo (23) o ex-jogador do Corinthians, Sócrates, falou no programa "Altas Horas" da Rede Globo sobre o assunto. Disse que não é contra o estádio, mas é contra o uso de dinheiro público em obra particular, quando o país tem inúmeras outras prioridades sociais graves a resolver, como a fome, a saúde, educação, segurança, etc.


http://esporte.ig.com.br/futebol/socrates-volta-a-criticar-a-copa-de-2014/n1597304284862.html

Além da Copa do Mundo e o estádio do Corinthians, Sócrates (que é médico) falou aos jovens sobre seu grave problema de saúde, ocorrido recentemente em decorrência do uso abusivo do álcool.

Além de excepcional jogador (Botafogo de Ribeirão Preto, Corinthians, Fiorentina da Itália, Flamengo, Santos e Seleção Brasileira, em duas Copas do Mundo), Sócrates se notabilizou, até hoje, pelo engajamento político, pela coragem de manifestar seus pontos de vista e por uma inteligência acima da média.

Não se pode reduzir o debate sobre políticas sociais a mera discussão clubística, idiotizando a questão.

Um comentário:

Marcos disse...

Triste realidade. Tenho certeza de que somos todos uns néscios.
Isso está acontecendo em todas as grandes capitais. Além dessa renúncia fiscal, há a injeção de recursos do BNDES e o investimento direto de recursos públicos. Para saúde e educação, não se tem a mesma facilidade em investir.
Cito o caso de Brasília. Para se construir um estádio fadado a "elefante branco", o governo está vendendo diversos imóveis públicos, inclusive em área tombadas. No final da história, além do "elefante branco" e da continuidade do caos na saúde, Brasília poderá perder o título de Patrimônio Cultural da Humanidade. Isso deve ser "ótimo" para o turismo.