segunda-feira, 25 de outubro de 2010

AS MARCAS DA MÁFIA

2 comentários:

Marcos disse...

Na época de FHC era melhor, pois havia um Engavetador-Geral da
República. Logo, não ocorriam crimes.
As irregularidades de antes são as mesmas de hoje. Muda a percepção
delas. Muda a forma de apuração. Infelizmente, no final, o resultado
será parecido. Enquanto as irregularidades de FHC e sua turma não
apareciam (ou seja, não existiam aos nossos olhos), as dos petistas
aparecem, mas no final não serão punidas (a prescrição apagará tudo).
Acredito que diferenciar tucanos e petistas somente pela ética é um
grave erro. Ambos são sujos. Farinha do mesmo saco, diria. No final
das contas, não há diferença entre entregar o patrimônio público para
donos de empresas (terceirizando, publicizando, privatizando...) ou
empregar milhares de apadrinhados políticos. O dano é o mesmo.
Infelizmente, para nós cidadãos, resta optar por aqueles que gastam
melhor os recursos que sobrarem após a farra. Nesse ponto, não tenho
dúvida de que o governo atual é muito superior ao de FHC. Os números
da economia e os indicadores sociais estão aí para qualquer um,
despido de preconceitos, perceber.

Edilvo Mota disse...

Nos resta, de fato, continuar lutando para que prevaleça o direito à liberdade de manifestação.

Faço uma opção de voto, mas não me iludo com uma eventual disputa entre "santos" e "demônios".

Em minha breve experiência no setor público (de carona, como cargo nomeado e não concursado) percebi que há, no geral, entre os agentes políticos um enorme abismo entre discurso e prática.

Penso que a tendência é o país continuar melhorando, sim, seus indicadores. E nem Serra, nem Dilma poderão retroceder nos avanços.

Corrupção, endêmica e enraizada, existe (penso) desde sempre.

Só me incomoda a mitomania ante as evidências e a mania (esta insuportável) do Lulla de tentar nos convencer de que foi elle quem inventou o Brasil. Elle, e os petistas em geral, precisam resgatar o ideário que deve ter balizado a criação do partido e que, parece, se perdeu ao longo do tempo. Em tempo: tenho amigos filiados ao PT (inclusive com mandato parlamentar) que honram as tradições republicanas. Cuido sempre de não generalizar, pois isto é injusto.

No mais, no dia 01.11 pela manhã continuaremos todos (ou quase todos) trabalhando honestamente e tentando fazer valer princípios em desuso, como a ética e o respeito ao contraditório.

Me orgulho muito de receber comentários e compartilhar da amizade (ainda que temporariamente virtual) de pessoas como você, Marcos.